A Região

A Comunidade Urbana do Médio Tejo agrupa os concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Sardoal, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha.
A região destaca-se pelo seu forte associativismo: um conjunto de colectividades e associações nas áreas da cultura, natureza e desporto operam no terreno há décadas:

Centro de Artes e Ofícios Roque Gameiro, a entidade responsável pelo Museu de Aguarela Roque Gameiro, pelo Conservatório de Música e Dança Jaime Chavinha e por um atelier de tecelagem responsável pela produção de artigos, entre os quais as famosas mantas de Minde;

Sociedade Musical Mindense cuja actividade remonta ao ano de 1915 e que hoje integra uma banda filarmónica com cerca de 53 elementos, uma big band – Xaral’s Band –, uma dixie band – Xaral’s Dixie –, e uma escola de música;

Casa do Povo de Minde fundada em 1913 e actualmente com diversos núcleos, entre os quais o grupo de teatro Boca de Cena em funcionamento desde os anos 30; o Natura Minde, responsável pela organização anual de um Raide de BTT; o Jazz Minde, um ciclo anual dedicado a este género musical; o Media Minde, responsável pela cobertura fotográfica e videográfica dos principais eventos da região com transmissão na internet;

e ainda ranchos folclóricos, fanfarras de bombeiros, entre muitos outros.

No que se refere ao património natural e paisagístico, a região encerra uma riqueza invulgar, integrando as grutas de Mira de Aire e o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros (PNSAC).
No PNSAC encontra-se o Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios com cerca de vinte trilhos e o Polge de Mira-Minde que durante o Inverno, com grande pluviosidade, origina uma enorme lagoa.

De mencionar a existência do dialecto Minderico, variante linguística falada em Minde desde o século XVIII, foi utilizado como código de comunicação e conhecido apenas pelos fabricantes e comerciantes das mantas de Minde. Após a alteração dos costumes e consequente tendência para o seu desuso e esquecimento, é, actualmente, alvo de estudo com o apoio financeiro da Fundação Volkswagen ao abrigo do Programa de Documentação de Línguas Ameaçadas.